domingo, 19 de junho de 2011

O VALENTE




Onde está a beleza do teu olhar?
Apagada por séculos de tempo em tempos,
Onde está a beleza de tuas próprias mãos?
Cantando Aleluia! Aleuluia!

Mostra tua face em jogo e permanece até o fim,
Decanta seus versos em prosa como rei Davi,
Mostra tua beleza que evidência a ignorância,
E faz renascer o novo homem.

De par em par faz a nação se abalar,
De ver em ver levou todo joelho se quebrar,
Que não mais que derrepente quebrantou o coração,
E enfim o juízo levado às nações.

Mostra tua face em jogo e permanece até o fim,
Decanta sua prosa em verso como rei Salomão,
Mostra tua beleza que evidência a ignorância,
E faz renascer tua rocha que brota em fontes de água viva.

Igor Modesto

2 comentários:

  1. É uma das poesias mais profundas suas que já li. Que as palavras possam dizer mais do que elas simplismente dizem.

    ResponderExcluir